cultura Igrejas

Conheça os símbolos da Páscoa.

Páscoa é  tempo de renascimento, de refletir sobre a vida e as grandes possibilidades trazidas para o campo pessoal e profissional. Vamos falar um pouco sobre os símbolos da Páscoa?

A comemoração da páscoa é realizada pelos Judeus antes mesmo do cristianismo, para celebrar a liberdade do povo Judeu da escravidão do Egito, que durou aproximadamente 400 anos.  Para o cristianismo trata-se de festividade que representa a ressurreição do filho de Deus, Jesus Cristo.

Os quarenta dias que antecedem a Semana Santa e a Páscoa (período denominado de quaresma) são utilizados, pelos católicos, para dedicação à penitência visando relembrar os quarenta dias que Jesus passou no deserto, bem como o sofrimento ao qual foi submetido.  Para os protestantes costuma-se dar maior importância à Sexta Feira Santa e ao Domingo de Páscoa.

A Semana Santa tem início com o Domingo de Ramos, relembrando a chegada de Jesus em Jerusalém. Para comemorar sua chegada as pessoas cobriam a estrada com folhas de palmeira. Na Sexta Feira Santa é celebrada a morte de Jesus na cruz, chegando-se ao Domingo de Páscoa  celebra-se a Ressurreição de Cristo e a sua primeira aparição entre os discípulos.

Assim o real significado da páscoa para o cristão é esse momento de reflexão na ressurreição, no cristo vivo, para alguns um período de se conectar mais ao sofrimento Dele por meio da realização de penitência.

Aproveite esse período para conhecer as históricas igrejas do centro do Recife, participar das celebrações religiosas em locais especiais e de  rara beleza. Dentre elas: a Matriz do Carmo,  a Capela Dourada,  A Igreja do Livramento, A Basílica da Penha,  a Igreja do Terço  e Matriz de Santo Antônio.

Mas por que  coelhos reinam na Páscoa?

São muitas as teorias que falam da origem do coelho da páscoa, algumas com origens pagãs, outras afirmam que desde a Idade Média já possuía uma relação direta do coelho com o Cristianismo.

Na cultura pagã européia, o ovo esteve associado a uma deusa da mitologia germânica, e a decoração de ovos era uma prática realizada por povos eslavos na região da atual Ucrânia. Do paganismo vamos conhecer a teoria que liga o coelho de Páscoa com a deusa da mitologia germânica Ostera, que em certa ocasião, transforma um pássaro em coelho para divertir algumas crianças. O pássaro ficou triste com a transformação em coelho e queria voltar à sua forma original. Como forma de agradecimento por ter voltado a voar, pássaro deixou alguns ovos coloridos para a deusa, que, presenteou as crianças. Assim a Deusa teve sua relação popularizada com os ovos coloridos, com o coelho e a Páscoa.

Na mentalidade cristã da idade média era feita uma relação da Lebre com a virgindade sendo ela colocada junto à Virgem Maria, supondo-se que esse fato se dá por que muitos acreditavam que a lebre era um animal assexuado.

Uma famosa obra de arte,  foi produzida por Tiziano Vecellio e mostra a Virgem Maria segurando um coelho branco, símbolo de pureza.

Outro entendimento que relaciona o coelho com Cristianismo é que durante a época em que a Páscoa era comemorada (próxima ao Equinócio de Primavera), o coelho era um dos primeiros animais a aparecer com o fim do inverno. Assim ele passou a ser enxergado como um símbolo da renovação e, portanto, da ressurreição.

Para a teoria Protestante a associação do coelho com a Páscoa afirma, para as crianças, que os ovos acumulados (resultado da Quaresma) eram trazidos pelos coelhos, sob a ótica que esses eram símbolos de fertilidade.

Agora que você já conhece um pouco mais sobre a história dos símbolos da Páscoa, celebre em família e viva a renovação e a comunhão da paz e do amor.

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

FECHADO

ABERTO

FECHADO

ABERTO

Galeria 910 - Avenida Dantas Barreto - São José, Recife - PE, Brasil

Segunda - Sexta: 08:00-18:00h
Sábados: 08:00-14:00h

Artigos Relacionados