Estacionamento Rua Vigário Tenório, 56

Última atualização: 07 outubro 2020 - 16:17

Informações

Local Aberto

Segunda - Sexta: 08:00-18:00h
Sábados: 08:00-18:00h

Rua Vigário Tenório, 56 - Recife, PE, Brasil

Estacionamentos mais próximos

Ofertas


Nenhum panfleto cadastrado (ainda!)
Em breve os panfletos estarão disponíveis aqui.

Produtos e Serviços

Nenhum produto cadastrado (ainda!)
Em breve os produtos da Casas Leo estarão disponíveis aqui.

Este estabelecimento é seu? Entre em contato para editar informações ou remover as informações da plataforma.
  • Ônibus

    Vem pro centro! Confira os aplicativos para facilitar a sua mobilidade

    Quem nunca se perdeu no centro que atire a primeira pedra. São tantas as ruas, praças, lojas, avenidas e becos, que chegar ao local desejado pode ser um desafio para quem não conhece bem a geografia. Nessas horas a tecnologia ajuda e os aplicativos de mobilidade são ótimos aliados para chegar de maneira mais rápida ao seu destino. Conhecendo bem as demandas dos recifenses, o blog Recife Centro destacou 10 aplicativos que facilitam sua rotina. Confira:   Moovit O Moovit é um aplicativo bastante prático para quem anda de ônibus. Com ele você visualiza os horários dos ônibus e metrô, previsões de chegada, acessa a rotas detalhadas no mapa e fica sabendo exatamente como chegar a qualquer estabelecimento, rua ou estação.  Usando o recurso “Vamos” do Moovit não é preciso ficar constantemente conferindo se a próxima parada é a sua. Ao chegar ao ponto de desembarque, você recebe uma notificação e assim não perde a parada. O aplicativo também disponibiliza informações como a localização da estação mais próxima e a distância da caminhada.  Clique para baixar o aplicativo para celulares android ou iOS.   CittaMobi Para esperar menos tempo em paradas, o CittaMobi atualiza os horários de chegada dos ônibus em todos os pontos da cidade. Você pode escolher no mapa a parada ou integração e se adianta para perder menos tempos e se programar para sair de casa. O aplicativo também mostra quais são as melhores linhas para chegar a um ponto específico.  O aplicativo também oferece a opção de recarga do cartão VEM, facilitando para o usuário e evitando deslocamentos desnecessários para abastecer o bilhete de passagens. Clique para baixar o aplicativo para celulares android ou iOS.   Bike PE Um número cada vez maior de pessoas têm utilizado as bicicletas como meio de locomoção. Além da facilidade, elas também são uma opção mais saudável e sustentável para o meio ambiente. As bicicletas podem ser retiradas em qualquer uma das 80 estações espalhadas pela cidade, utilizando o cartão VEM ou o aplicativo do Bike PE. As viagens duram até 60 minutos podendo ser renovadas com a troca da bicicleta antes do fim desse período, sem custo adicional. Clique para baixar o aplicativo para celulares android ou iOS.   Gostou? Continue acompanhando nosso blog para mais dicas de mobilidade e outros serviços.

  • Turismo

    Museu do Trem: lar das memórias ferroviárias do Recife

    Turistas e moradores do Recife possuem várias formas de saber mais sobre a história da capital pernambucana, uma das mais legais e acessíveis são os museus. São tantos espalhados pelo estado que fica impossível visitar todos em um único dia. Mesmo assim, esse tipo de passeio é um deleite para os amantes de história. O Museu do Trem, por exemplo, não pode faltar no seu roteiro de viagem. Lá podemos entender melhor sobre o uso do transporte ferroviário no centro do Recife, além de resgatar o período da Revolução Industrial em Pernambuco e a tecnologia que foi surgindo com o passar dos anos. Demais, não é? Então vamos saber mais sobre o lugar antes de programar a visitação? Confira:   Origem Acredite se quiser - é para acreditar de verdade -, mas a estação que abriga o Museu do Trem, chamada Estação Central Capiba, foi aberta pela primeira vez em 1888, mais de um século atrás. Desde então, foi desativada e inaugurada algumas vezes. Naquela época não existia ônibus, muito menos motoristas de aplicativo. Assim, a mobilidade da população acontecia de trem, tanto para os percursos longos (interiores e outros estados nordestinos), como para o subúrbio.  Em 1983, a estação foi fechada pela primeira vez para que as obras do metrô começassem. Foi aberta em 1985, nesta época o Museu do Trem já funcionava desde 1972 e acompanhou o fechamento da casa em todas as ocasiões citadas. O museu carrega o título de primeiro museu ferroviário do Brasil. Seguindo a linha do tempo, o lugar parou de funcionar mais uma vez, em 2009, tendo sua inauguração em 2014. A mais recente pausa na programação da estação e do museu foi em novembro de 2020 para renovar alguns elementos físicos, como pintura das paredes, substituição de telhas quebradas e alguns pequenos reparos. A reabertura aconteceu em janeiro de 2021.   Estrutura Depois das diversas requalificações, estação e museu são hoje uma ótima opção de lazer para o público. O ambiente é extenso e nas últimas reformas ganhou um elevador para os visitantes transitarem entre os andares. Um diferencial importante é a existência de um guarda-volume que não é cobrado nenhum valor para uso. Na entrada, um vídeo explicativo sobre a história do museu e da estação é exibido para os que chegam. O local é climatizado e a iluminação abrange todo o ambiente. A segurança também é importante, por isso foi colocado câmeras, extintor de incêndio. Salas com equipamento multimídia também estão presentes no museu, além de cenografia e sinalização em dois idiomas.  Falando em equipamentos multimídia, o museu reserva uma sala intitulada de O Túnel. Nela, os mais desatentos podem ser surpreendidos com a imagem em 3D de um trem saindo do túnel em alta velocidade, na direção dos visitantes.  Já do lado de fora, máquinas do início do século XX são expostas e estão em ótima qualidade de conservação. Entre os veículos em exibição está um trem com capacidade de puxar 70 vagões, carroças e locomotivas a vapor, bem parecidas com o que vemos nos filmes antigos.   Patrono, Exposição e Curadoria O sociólogo, escritor e jornalista Gilberto Freyre se tornou patrono na inauguração do Museu do Trem. Atualmente, a casa apresenta a exposição “Chegada e Partida: A Memória do Trem em Pernambuco”, com curadoria do museólogo Aluízio Câmara. O projeto conta a história da ferroviária em Pernambuco e transporta os visitantes direto para a Revolução Industrial da época, desde lembranças sensoriais, como os sons de apito, sinos e outras coisas do passado, até as inovações tecnológicas que foram surgindo com o passar dos anos. O Museu do Trem possibilita fazer uma viagem ao passado tanto no térreo como em seu primeiro andar. No total existem aproximadamente 500 peças antigas de uma realidade que já não existe mais. Cadeiras, carimbos, sinalizadores, bilheterias e fotografias são algumas das relíquias do lugar.   Visitação e Endereço O Museu do Trem fica dentro da Estação Central Capiba, na rua Floriano Peixoto, s/n, bairro de São José, centro do Recife. As visitações acontecem de terça a sexta-feira, das 10h às 16h. Nos sábados e domingos, das 10h às 14h. A entrada é gratuita. O telefone para contato é (81) 3184.3197 ou 3184-3198.  

  • Estamparia: saiba como compor looks com estampa

    Nada como vestir uma roupa estampada para jogar o astral da gente lá para cima, certo? Quem caminha pelo Centro do Recife sabe que não faltam opções nas vitrines para quem curte peças coloridas e cheias de personalidade. Flores, estrelas, folhagens, frutas, animais, formas geométricas… As estampas estão por toda parte, têm tudo a ver com o clima ensolarado da nossa cidade e a moda local. Mas são tantos elementos e cores diferentes que, às vezes, pode ser até difícil escolher a estampa ideal. Qual é a mais adequada para uma ocasião formal? Qual valoriza o seu corpo? Qual vai combinar melhor com a cor da sua pele e cabelo? Como misturar duas estampas numa produção só? Para responder tudo isso, preparamos uma lista com tudo o que você precisa saber sobre como compor looks com estampa sem nunca mais errar na mão. Roupa estampada combina com qualquer ocasião? A resposta pode parecer óbvia: depende da estampa e depende da ocasião. Mas, calma, vamos detalhar tudo para você. Estampas em tamanhos menores são consideradas mais elegantes e, por isso, combinam com ocasiões mais formais. Elas podem, inclusive, ser usadas com mais facilidade no ambiente de trabalho. Neste caso, para não ter erro, uma boa ideia é combinar a peça estampada a uma peça neutra. E como escolher a cor desta peça neutra?, você pode estar se perguntando. Simples: aposte numa cor universal (preto, branco ou azul-marinho, por exemplo) ou repita uma das cores predominantes na estampa que você escolheu. Para casamentos, bailes de formatura, batizados e outros eventos sociais mais tradicionais, opte por estampas que tenham até três cores. Assim, você não corre o risco de exagerar na dose e chamar muita atenção. Estampas com predominância de tons escuros são ainda mais elegantes. Que tal um vestido de fundo preto com estampa floral? Estampa emagrece ou engorda? Como valorizar meu corpo? Simples: use a estamparia como recurso para atrair atenção para as partes do seu corpo de que você mais gosta. Ao invés de se preocupar em esconder o que você não gosta, se concentre no que mais admira em si mesma. É isto que você precisa destacar. Se você quer realçar os quadris, por exemplo, use saias e calças com estampas largas e cores claras. Isso provoca a sensação de maior volume e dá destaque à região. De uma forma geral, as estampas de maior tamanho – sejam flores, formas geométricas ou motivos tropicais – causam a impressão de maior volume. E as estampas de menor tamanho, por estarem distribuídas com maior distanciamento ao longo do tecido, fazem as medidas do corpo parecerem menores. Ou seja: se quer parecer mais magra, aposte em estamparia de menores proporções. Eu posso combinar duas peças de roupa estampadas? Como? Claro que pode! O segredo é harmonizar a combinação através de suas cores principais. Para não ter erro, analise os tons predominantes numa estampa e repita na outra. Assim: digamos que você escolha uma blusa de fundo preto estampada com girassóis, por exemplo. Neste caso, a calça ou saia para complementar o look deverão seguir esse mesmo padrão, com estamparia predominantemente preta ou amarela (cores que se destacam na estampa da blusa).   Vale apostar, ainda, em estampas mais neutras, com elementos como listras ou xadrez, seguindo sempre o mesmo truque de repetir os padrões de cores. Na dúvida, prefira listras em preto e branco, que são versáteis e universais. Ao combinar estampas, lembre-se de complementar o look com cinto, sapato e bolsa neutros. Preto ou nude sempre caem bem. Além de investir em acessórios mais discretos, para não correr o risco de exagerar na produção. E a estamparia animal print, continua na moda? Sim, as padronagens animal print, que imitam a pele de animais como zebras, onças, cobras e leopardos, são atemporais. Isso significa que nunca vão sair de moda, mesmo que se destaquem menos em determinadas estações. Uma blusa com estamparia de oncinha, por exemplo, é uma peça-chave para se ter no armário, já que pode ser usada em diferentes ocasiões. Basta saber como complementar a produção. Para o dia a dia de trabalho, por exemplo, a estampa animal print pode ser associada a uma peça mais formal, como uma calça preta de alfaiataria ou um blazer de cor neutra. Para um passeio no fim de semana, a mesma blusinha cai bem com uma calça jeans e tênis branco. Para um encontro a dois, que tal uma saia preta e sandália nude? Para finalizar o look, cabelo preso, acessórios sóbrios e maquiagem neutra são uma boa pedida e agregam um toque de sofisticação. Mas qual estampa combina mais com minha pele e cabelo? Primeiro, vamos analisar o seu tom de pele, cabelo, olhos e sobrancelhas. De frente para um espelho, de preferência num cômodo com entrada de luz natural, você vai fazer uma rápida análise de coloração pessoal. Reflita sobre o que combina mais com você: acessórios dourados (tom quente) ou prateados (tom frio)? Roupas marrons (tom quente) ou pretas (tom frio)? Experimente diferentes brincos, colares e blusas, sempre posicionando as peças próximas ao seu rosto. Quais te deixam com aparência pálida? Quais fazem você parecer mais corada? Quais chamam mais atenção para as suas olheiras? E quais fazem seu sorriso parecer mais iluminado? Tome o tempo que precisar, sem pressa. Você pode anotar as respostas se preferir. Ao encontrar sua cartela de cor (fria ou quente), é só repetir essa combinação como uma receita de bolo. Priorize as estampas que melhor harmonizem com os seus tons naturais, cores quentes para cartelas quentes e cores frias para cartelas frias. Estampas azuis sobre um tecido preto, por exemplo, são ideais para quem tem pele e cabelo em tom frio, com maior contraste. Estampas de flores vermelhas sobre um tecido de fundo cor-de-rosa, por outro lado, combinam mais com quem tem paleta natural de tons quentes, com menor contraste. Agora que você entendeu tudo o que precisava sobre estamparia e já sabe como montar seu look estampado sem abrir mão da sua personalidade e sem exagerar na dose, confira nosso guia virtual para mais dicas de moda e descubra todas as lojas que o Centro do Recife tem para te receber.